Blog

Como ter uma casa sustentável: tudo que você precisa saber

Por Emi Honda

11 de abril de 2022


Índice

Introdução

Nos últimos anos, o mundo tem prestado mais atenção nas questões ambientais. Com o efeito estufa, o aquecimento global e a crise hídrica acontecendo bem diante de nossos olhos, temos que enxergá-los e fazer nossa parte para cuidar de nosso planeta.

Na arquitetura não é diferente. A construção de casas sustentáveis é uma boa solução para quem busca ser amigo do meio ambiente.

Esse tipo de construção tem crescido a cada ano, juntamente com a descoberta de novos materiais sustentáveis e das novas tecnologias. Sendo o Brasil, de acordo com dados do Green Building Council, o quarto país com maior número de certificações LEED (certificado para projetos sustentáveis).

E as boas notícias não param por aí! Além de ajudar o meio ambiente, a casa sustentável também pode trazer muitas economias. Então, continue lendo este artigo para ajudarmos você a entender melhor sobre isso.

O que é uma casa sustentável

(Reprodução/Freepik)

Uma casa sustentável é aquela que faz parte de um habitat vivo, ou seja, tende a agredir o meio ambiente ao mínimo. Assim como conecta-se a topografia, ao clima e também ao ser humano.

Porém, para ela ser considerada 100% sustentável, é necessário que atenda diversas exigências técnicas, como:

  • A localização do edifício deve ser escolhida de maneira estratégica, preferencialmente em locais onde o uso de automóveis podem ser evitados, além de estar longe das áreas de preservação. Outro ponto importante em relação à implantação, é a posição da casa de acordo com a trajetória solar visando a economia com iluminação e aparelhos de ventilação.
  • Os materiais utilizados devem ser recicláveis e reutilizáveis. E quando usada a madeira, deve-se optar pelas de reflorestamento, certificadas.
  • Sistemas eficientes de hidráulica e elétrica que possibilitam a economia e o uso racional dos recursos, evitando também o seu desperdício.
  • A valorização da luz natural, através de grandes aberturas, dispensa ao máximo o uso de lâmpadas, além de auxiliar no bem-estar das pessoas, pois a falta da luz solar pode provocar níveis de estresse e até mesmo depressão.
  • Arquitetura bioclimática que diminui o uso de ar condicionado com a implantação de telhados verdes, o quais funcionam como um isolante térmico, amenizando o calor que entraria no edifício, além de servir como um ótimo isolante acústico.

Atendendo vários desses pré-requisitos, a construção pode torna-se certificada. E dentre os selos de certificação mais conhecidos estão o LEED, o AQUA-HQE e o selo CASA AZUL.

(Reprodução/Inovatechengenharia)

Materiais mais utilizados em uma construção sustentável

A Madeira é um dos materiais mais conhecidos. Porém, para ela ser usada em uma casa sustentável, deve-se certificar de sua origem, se seu manejo florestal era feito de maneira correta.

(Reprodução/Freepik)

O Bambu substitui a madeira muito facilmente, pois suas fibras são mais fortes e é considerado um recurso renovável. Além de crescer em diversos climas e lugares, o bambu também absorve o dióxido de carbono, liberando 35% a mais de oxigênio comparado às outras árvores.

Veja aqui: Residência EA / Solange Cálio Arquitetos

(Reprodução/@encaixesa)

Composto por terra crua, água, palha e fibras naturais, o adobe é um material vernacular. Por se tratar de um processo artesanal, ele é mais restrito quanto ao lugar de utilização, como em lugares onde a chuva e a umidade estão muito presentes. Mesmo assim, tem enormes vantagens como o baixo custo, o conforto térmico, o uso de materiais regionais  e ainda ser ecologicamente sustentável.

(Reprodução/Museu de cacule)

O Tijolo Ecológico, feito de solo, cimento e água e curado através da prensa, precisa de um planejamento prévio e mão de obra especializada. Em contrapartida, gera menores impactos ambientais, há muito pouco desperdício de material, é 6 vezes mais resistente que o tijolo comum e pode economizar até 50% do custo final da obra.

Veja aqui: Residência GSM / OTP Arquitetura

(Reprodução/Minha casa pre fabricada)

A Telha Ecológica é aquela feita com material reciclado, com fibras naturais ou de papel. Elas são leves e ao mesmo tempo resistentes, são anticorrosivas e ainda podem ser colocadas em diversos tipos de construção.

(Reprodução/Ugreen)

Agora falando de revestimentos, o ladrilho hidráulico é considerado ecológico pois não emite gases prejudiciais com a queima em fornos na hora de sua produção. Eles podem ser usados tanto em paredes como nos pisos.

(Reprodução/Lopes)

Já as pastilhas de garrafa PET, como o nome já diz, são feitas de PET (polímero termoplástico) e elas são uma boa opção caso queira economia e praticidade na hora de reformar sua casa.

(Reprodução/Mello.eco)

Por fim, a tinta mineral natural. Feita com minérios da terra, portanto isenta de VOC’s (Compostos Orgânico Voláteis), a tinta não contamina o ambiente e ainda ajuda a melhorar o conforto climático dele.

(Reprodução/Ecocasa)

Práticas sustentáveis que você pode aplicar no dia a dia

Se você já possui uma casa a qual não foi projetada inicialmente para ser 100% sustentável e quer criar uma relação mais saudável com a natureza, não é preciso construir uma casa do zero. Algumas modificações na casa já podem ajudar nisso.

Além de que, através da mudança dos hábitos no dia a dia e com a troca de alguns objetos, pode-se economizar muito na conta de luz e de água.

Uma das mudanças mais simples, caso sua casa necessite de iluminação, é o uso de lâmpadas fluorescentes ou as de LED. Comparadas às incandescentes, duram mais e são mais econômicas.

(Reprodução/Freepik)

O Sistema de Energia Solar Fotovoltaico  é uma tecnologia que produz energia elétrica através da luz do Sol. Precisa-se de um investimento um pouco maior no início, mesmo que nos últimos anos estejam mais acessíveis. Porém, é um sistema muito eficiente, chegando a economizar mensalmente até 95% da conta de luz. E depois de 10 anos já é possível cobrir todos os custos de implantação.

(Reprodução/Freepik)

Ao comprar eletrodomésticos/eletroportáteis, dê preferência àqueles que possuem o selo Procel, indicação de que tem uma eficiência energética melhor, ou seja, consome menos energia.

(Reprodução/Ultraluz)

Uma boa opção também é a descarga econômica. Possui uma caixa acoplada e dois botões que dão a opção de quantos litros sairá ao dar a descarga. Sabendo que essa ação é uma das que mais desperdiçam água no mundo, a ideia de trocar por uma econômica é bem válida.

(Reprodução/Casa e construção)

Trocar sua torneira comum para uma com arejador é uma boa escolha. Elas têm uma vazão menor de água e, consequentemente, economizam muito. Enquanto uma torneira comum tem vazão de 16L/min, a que possui o sistema de arejador tem apenas 3L/min.

(Reprodução/Mercado livre)

Com a escassez da água cada vez mais comum, a Cisterna permite a captação e o armazenamento da água da chuva através de um sistema acoplado nas calhas que é direcionado a um reservatório. Permite a reutilização das águas cinzas para fins que não exigem água potável como a rega do jardim, a lavagem dos carros e as descargas dos banheiros.

(Reprodução/Confortec)

10 vantagens de uma casa sustentável

  1. Sustentabilidade
  2. Versatilidade
  3. Durabilidade
  4. Custo benefício / Retorno financeiro
  5. Beleza Arquitetônica
  6. Qualidade de Vida
  7. Conforto Acústico
  8. Conforto Térmico
  9. Desconto no IPTU (IPTU Verde)
  10. Menor desperdício de materiais

Gostou do conteúdo? Comente abaixo o que achou e compartilhe nas redes!

Consulte nossa equipe da Modular Jr aqui.