Blog

Dicas de interiores para aprimorar seu home office

Por Marcela Leal e Raul Pizzato

21 de outubro de 2021


Índice

 

  1. Introdução

Para muitas pessoas, trabalhar em casa tornou-se uma nova realidade e a já crescente  demanda por trabalho remoto aumentou exponencialmente com as restrições impostas  pela quarentena. 

A reclusão nos nossos lares e a nova função que estes passaram a exercer com o home  office, nos fez repensar a organização de nossos espaços, ainda pouco adaptados a  essa nova realidade. E a organização de um escritório doméstico tem ganhado cada  vez mais importância visto que, segundo especialistas, o modelo de trabalho à distância  poderá se manter total ou parcialmente mesmo após a pandemia em alguns setores da  economia. 

Assim, te daremos algumas sugestões de como escolher o espaço do seu home office,  além de dicas de interiores que mostrarão como deixá-lo mais confortável e funcional  para a realização de suas tarefas.

pessoa digitando no computador
(Reprodução/Freepik)

2. Primeiro passo: Como escolher em que ambiente montar meu  escritório?

Para definir em qual espaço da sua casa estabelecer seu home office, alguns aspectos  primordiais devem ser analisados, a fim de que seu ambiente atenda objetivos de  funcionalidade e conforto, ajudando na realização das tarefas diárias. Alguns desses  pontos são:

2.1. Acústica

O espaço escolhido, para funcionar bem como escritório, deve ter um bom isolamento  contra eventuais ruídos externos. Entretanto, no ambiente doméstico muitas vezes é  difícil encontrar um local que seja segregado o suficiente para não ser afetado pelos  barulhos da casa. 

Existem opções no mercado de mobiliário que ajudam na absorção de ondas sonoras,  mas soluções simples como a instalação de tapetes, carpetes e forros já contribuem  para tanto. Também há a possibilidade de haver a instalação de painéis acústicos na  parede.

2.2. Iluminação

Para a escolha do local de trabalho, é preciso considerar a presença de janelas, já que  elas provêm o ambiente com luz natural. Entretanto, a mesa de trabalho não deve estar  posicionada nem de frente e nem de costas para ela, para evitar o cansaço da vista com  a claridade direta ou proveniente do reflexo da tela do computador. 

Considerando a iluminação artificial, é imprescindível que a escrivaninha seja foco de  luz, para que não haja a necessidade de forçar a visão para a realização de tarefas.  Ademais, a cor das lâmpadas deve ser pensada com cuidado, de acordo com as  percepções do espaço que cada uma das tonalidade de luz gera.

homem falando ao celular no escritório
(Reprodução/Freepik)

2.3. Ventilação

Assim como para a luminosidade, a presença de janelas é essencial para promover a  circulação natural de ar no ambiente. A ventilação é um dos fatores responsáveis pelo  conforto térmico de um espaço, sendo que se a disposição de janelas for bem planejada,  há menos gasto de energia com equipamentos como ventilador, ar-condicionado e até  aquecedor.

2.4. Conexão com a Internet

É preferível que o roteador de internet esteja no mesmo ambiente designado para o  trabalho. Entretanto, se não for possível, é aconselhável que não haja paredes de  concreto ou gesso separando os locais onde está o roteador e o escritório, visto que  esses materiais dificultam a propagação de sinal. 

Além disso, não é recomendado que elementos metálicos e aquários fiquem próximos  do roteador. Isso porque o metal é responsável por refletir o sinal, enquanto a água  reduz sua velocidade de propagação, afetando diretamente a conexão de internet nos  aparelhos.

3. Que móveis devo escolher?

Por mais que durante o trabalho remoto seja tentador querer realizar tarefas do sofá ou  da cama, essas opções podem causar desconforto ou até lesões a longo prazo. E,  quando se trata da seleção do mobiliário que deve integrar seu home office, a ergonomia  deve ser um fator crucial para a tomada de decisões. 

Mas o que é ergonomia? Ela é uma ciência que busca humanizar e tornar o trabalho  mais eficiente aplicando conceitos de anatomia, fisiologia e psicologia. No design de  móveis e outros equipamentos, ela é empregada com o objetivo de promover o conforto  e evitar as chamadas Lesões por Esforço Repetitivo (LER), que podem ser causadas em decorrência de má postura, e atividades como digitação e escrita, quando realizadas  durante muitas horas seguidas. 

Mais especificamente para o caso da montagem de um escritório, os móveis  ergonômicos são aqueles que permitem que o usuário consiga manter uma posição  adequada, de modo a não sentir dores no corpo, pontuais ou crônicas, decorrentes da  jornada de trabalho. Alguns exemplos de parâmetros e equipamentos que possibilitam  a ergonomia dos móveis são:

Altura da mesa

Deve ser escolhida de acordo com a altura do usuário, de modo que seja possível apoiar  os cotovelos e antebraços em uma superfície plana sem forçar os ombros. No mercado  há modelos de mesas elétricas que se ajustam à altura do usuário, mas isso pode ser  resolvido facilmente com um extensor de mesa. 

Apoio de braços

Complementando o posicionamento dos cotovelos e antebraços, é ideal que os braços  se mantenham perto do corpo, e formem um ângulo de 90° com o tronco. Se a cadeira  escolhida não contar com um apoio de braços eficiente para tanto, esse item pode ser  comprado de modo individual. 

Altura da cadeira

A cadeira deve ter dimensão suficiente para que o usuário consiga encostar os pés  completamente no chão, sem forçar as regiões da panturrilha e coxa. Caso isso não  ocorra, um apoio de pés pode ser eficiente em solucionar esse problema. 

Suporte para laptop

Para evitar que haja lesões na região da nuca, é preciso que o monitor do computador  esteja na altura dos olhos, o que pode ser facilmente providenciado por esse  equipamento, caso a mesa não suprir essa necessidade.

 

esquema ergonomia no espaço de trabalho
(Reprodução/Freepik)

4. Como devo distribuir esses móveis?

Tendo escolhido os móveis, é imprescindível pensar em uma distribuição espacial lógica  e eficiente para eles, de modo que o espaço como um todo se torne ordenado. Para  isso é ideal que desde o início sejam definidas quais são as atividades principais a serem  realizadas no ambiente, e quais são os objetos necessários para dar suporte a elas. 

Por exemplo: alguém que trabalhe à distância como professor deverá ter a seu alcance  durante as aulas, além do computador, utensílios para anotações, o material didático  dos alunos e uma garrafa de água. Além desses itens de uso essencial, é interessante  que ele mantenha em seu escritório outros materiais de consulta de uso menos  recorrente e arquivos com atividades prévias dos alunos. 

Entretanto, um profissional de design, por ter prioridades diferentes de um professor,  deve compor seu escritório de modo personalizado para que ele se compatibilize com  as suas necessidades diárias. Por exemplo, a escrivaninha desse usuário deve ter  espaço suficiente para contar com ferramentas como mesa digitalizadora, canetas  coloridas, blocos de rascunho e demais materiais essenciais ao seu trabalho. 

A partir desses casos, fica mais fácil de compreender a importância da setorização das  atividades entre principais e secundárias e a posterior concentração das que se  enquadram na mesma categoria, sempre o fazendo considerando que elas variam de  acordo com os objetivos específicos de cada um. 

Traduzindo isso para o espaço de um escritório, é importante que apenas os itens de  uso recorrente fiquem sobre a escrivaninha, de modo que ela não fique poluída com  muitos elementos e que tudo que é essencial fique ao alcance. Materiais de anotação e  computador se enquadram nessa categoria. Em segundo plano, devem estar os demais  objetos: os importantes, mas de uso menos recorrente – como carregadores ou  calculadoras – se localizando próximos do usuário, mas não na escrivaninha, e os de  uso eventual, que podem estar em uma estante mais afastada.

Uma boa organização das atividades e, consequentemente, do mobiliário referentes ao  ambiente do home office, são importantes para a produtividade, evitando  deslocamentos desnecessários durante o expediente. Mas mais do que isso, ela é  capaz de resolver questões relacionadas ao melhor aproveitamento de um espaço em  função de suas dimensões, pensando na melhor circulação dos usuários e ajudando a  promover um maior conforto do ambiente.

mesa de trabalho
(Reprodução/Pexels)

5. Conforto visual

A visão é um dos principais meios com o qual percebemos nosso entorno, e na hora de  organizar o seu home office é importante manter isso em mente. Um bom sistema de  iluminação com o uso pensado de cores, texturas e elementos contrastantes promovem  maior conforto visual, aumentando a produtividade e criando um espaço aconchegante. 

Visto isso, quando se pensa na iluminação, deve-se levar em conta os efeitos dessa e  de como foi implantada. As luzes frias ou brancas são geralmente as que são  mais optadas para promover a produtividade, já que estas aumentam o foco, gerando  um ambiente de trabalho intenso.

mulher trabalhando
(Reprodução/Pexels)

6. Psicologia ambiental

Atualmente passamos a maior parte de nosso tempo reclusos em ambientes fechados,  e estes, mais do que nunca, afetam nossas vidas, alterando nosso comportamento  psíquico. 

Determinadas características de um ambiente podem causar diferentes sensações, seja  relaxando ou melhorando o foco. Procurando melhor entender isso, no final da década  de 50, começou-se a estudar as correlações do comportamento humano e sua interação  com o espaço, estudo este intitulado de psicologia ambiental. A partir dele, nos foi dada  a oportunidade de pensarmos nossos espaços conforme nossas necessidades. 

Como por exemplo, para ambientes de trabalho compartilhados, a cor azul, por trazer  a sensação de serenidade, é a mais indicada. Ou, caso um ambiente que lhe dê ânimo  e criatividade seja o que precisa, o amarelo é uma boa opção. Mas se quer um ambiente  que lhe permita concentrar-se e induza a ordem e a organização, branco é sempre  indicado, muito utilizado no design escandinavo e na arquitetura minimalista, trazendo  simplicidade e luminosidade ao ambiente. Para saber mais sobre a influência das cores e como escolher a paleta de cores para sua decoração clique aqui!

home office
(Reprodução/Pexels)

Como os serviços da Modular Jr. podem te ajudar a ter um espaço de trabalho otimizado?

Montar um home office confortável e que impulsione a produtividade não é uma tarefa  tão fácil como parece, já que cada solução é pensada com minúcia e detalhamento.  Nesse sentido, a contratação dos serviços de um profissional de arquitetura ou design  de interiores se mostra imprescindível, uma vez que eles têm o conhecimento  necessário para tirar o máximo proveito do seu escritório doméstico!